Pecado x Tentação!

Olá virtuosas!

Hoje vamos falar de um assunto muito comum no nosso meio e que muitas pessoas deixam de lado e preferem não ouvir, fazendo com que o pecado tome conta da sua vida e seja muito mais difícil conseguir ser liberto dessa escravidão.

No próprio Pai Nosso, que é um modelo de oração que temos na palavra de Deus, diz: E não nos deixes cair em tentação, mas livrai-nos do mal!

Sempre pedimos para que o Senhor não nos deixe cair em tentação, mas muitas vezes pedimos da boca pra fora e não de todo o coração, muitas vezes seguimos os nossos próprios desejos e não a sua direção. O próprio Deus sabe que a tentação é algo que nos leva diretamente para o mal e nos ensina a orar e pedir a ELE para não nos deixar cair pois quando caímos com certeza abrimos a porta do mal em nossas vidas.

Então como lidar com a tentação e com o pecado?? Quando alguém comete qualquer tipo de pecado, pode ter a certeza que antes entrou em tentação. Todo pecado deriva da tentação. Não pode haver pecado sem que exista a tentação:

♦ Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido.
Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte.
Tiago 1:14,15

〈A tentação é algo que vai te arrastando e alimentando aos poucos, até que você seja totalmente seduzido e dê luz ao pecado.〉

♦ Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado. Gálatas 6:1

Qualquer um está sujeito a cair em pecado. Com certeza as tentações virão a todo instante, mas não podemos dar lugar a elas, não podemos alimentar a seta do inimigo na nossa mente, pois se alimentarmos seremos arrastados aos poucos e quando nos depararmos já estaremos em pecado. Quando são vencidas pelo pecado, muitas pessoas se arrependem dele, no entanto não se apercebem de que sua causa foi a tentação. Se quisermos vencer qualquer tipo de pecado, é preciso que consideremos o que nos está tentando a esse pecado e procurarmos evitar essa tentação.

Conforme John Owen, a tentação é a raiz, e o pecado é o fruto amargo da tentação. Embora cientes do seu pecado, há muitos que não se conscientizam de suas tentações. Essas pessoas se desagradam com o fruto amargo do pecado, porém não tomam precauções para evitar a raiz venenosa da tentação. Ninguém cai em pecado subitamente, sem que primeiro tenha entrado em tentação.

A companhia de certas pessoas é capaz de levar quase com toda certeza a pensamentos, palavras e atos pecaminosos (1 Coríntios 15:33), todavia é possível gostar dessa companhia e mais tarde lamentar sobre o pecado que resultou dela. Quando a tentação é violenta, ou se repete constantemente, não dando descanso à alma, podemos ter a certeza de que entramos em tentação.

Os desejos pecaminosos têm o poder de seduzir uma pessoa a pecar, até mesmo sem uma tentação externa (Tiago 1:14), entretanto isto não é o mesmo que entrar em tentação. Os desejos pecaminosos são como um riacho correndo em seu curso para o mar, e a tentação como um vento poderoso que sopra nesse riacho. Pense nesse riacho e pense num barco vazio sendo colocado nele. Mais cedo ou mais tarde, segundo o curso e a velocidade da correnteza, esse barco será levado ao mar. Da mesma maneira, os desejos pecaminosos de uma pessoa irão mais cedo ou mais tarde (à parte da graça salvadora de Deus) levá-la ao mar da sua ruína eterna. Voltando à nossa ilustração, suponha que há ventos fortes ventando contra o barco. Então o barco será empurrado com violência contra as margens e as rochas, até que se parta em pedaços e seja tragado pelo mar. Esta ilustração nos dá dois quadros de um homem pecaminoso. O primeiro é de um homem que, lentamente, está sendo levado para o mar da sua ruína eterna nas correntezas dos seus desejos pecaminosos. O segundo nos mostra o mesmo homem experimentando o vento forte da tentação. Este vento leva o homem a um pecado após outro até que seja totalmente estraçalhado e vivendo uma escravidão.

Todos nós temos desejos pecaminosos. Às vezes, chegam a nós oportunidades que nos pressionam a satisfazê-los. Quando isso acontece, já entramos em tentação.  Uma pessoa pode entrar em tentação sem estar ciente que um desejo pecaminoso está sendo provocado. Um exemplo disso é a situação em que o coração da pessoa começa a gostar da tentação, secretamente, e vai fazendo provisão para ela e lhe dá oportunidade, de diversas maneiras, para que ela cresça – sem, contudo, cometer um pecado óbvio. Esta é uma forma muito sutil de tentação. Um exemplo nos ajudará a detectá-la: Certa pessoa começa a ser conhecida como piedosa, sábia, entendida, etc. (coisas boas em si mesmas) e as pessoas a elogiam por isso, e ela começa a gostar de ser tratada assim. Tanto o seu orgulho como a sua ambição são afetados. Ela passa, então, a se esforçar para burilar os seus dons e as suas virtudes. Mas seus motivos são errados: ela está querendo que sua reputação aumente. Está entrando na tentação. Se não reconhecer e lidar com essa situação, essa sutil tentação logo a transformará numa escrava dos seus desejos pecaminosos de desejar uma boa reputação. Os desejos pecaminosos de uma pessoa e as tentações se encontram. Sempre que uma pessoa se encontra numa situação na qual os seus desejos pecaminosos estão conseguindo a oportunidade de serem satisfeitos, e ela se vê sendo encorajada a satisfazê-los, aproveitando ao máximo a oportunidade que se lhe oferece, ela está entrando em tentação.

O material inflamável precisa ser conservado distante do fogo. Da mesma maneira, é importante que nossos desejos pecaminosos sejam mantidos à distância daquelas coisas que os incitarão. Há aqueles que pensam que podem brincar com serpentes sem serem picados, tocar em tinta fresca sem se mancharem, brincar com fogo sem se queimarem; mas estão enganados. Porventura seu trabalho, seu estilo de vida ou suas companhias lhe trazem constantemente oportunidades para satisfazer os seus desejos pecaminosos? Se for assim, você entrou em tentação.

Decida hoje afastar de tudo aquilo que te leve ao pecado! Decida hoje a confessar uma tentação e não mais o pecado!

Que o Senhor possa abençoá-la onde quer que esteja nesse momento e venha derramar da sua graça e misericórdia sobre a sua vida, te fazendo reconhecer que é pecadora, mas que é perdoada e amada! Que uma nova vida possa se inciar hoje, cortando o mal pela raiz e se livrando de tudo aquilo que dava entrada ao pecado. Amém!

beijo,

Paulinha

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s